Notícias

Postado em 23 de Abril de 2015 às 17h01

Pessoas que vão dormir tarde têm mais tendência a desenvolver diabetes

Alimentação de quem tem esse perfil tende a ser desregulada, o que pode prejudicar o metabolismo

Farmácia São Lucas Alimentação de quem tem esse perfil tende a ser desregulada, o que pode prejudicar o metabolismo Pessoas com hábitos noturnos são mais propensas a desenvolver diabetes, síndrome metabólica e...

Pessoas com hábitos noturnos são mais propensas a desenvolver diabetes, síndrome metabólica e sarcopenia (perda da massa muscular gradualmente), em comparação às pessoas que acordam cedo, mesmo quando não há diferença na quantidade de horas dormidas. É o que apontou uma pesquisa publicada no jornal da Endocrine Socirty nesta semana. 

O estudo examinou as diferenças no perfil das pessoas que têm hábitos noturnos e diurnos e concluiu que permanecer acordado até tarde é um dos fatores responsáveis pela má qualidade e perda de sono. Além disso, pessoas noturnas tendem a ter uma alimentação desregulada, o que eventualmente pode prejudicar o metabolismo.

A pesquisa avaliou o metabolismo e os hábitos noturnos de 1.620 participantes entre 47 e 59 anos. Eles responderam a perguntas relacionadas à qualidade do sono, horas de repouso e hábitos de vida, como a prática de exercícios físicos, por exemplo. Os voluntários também foram submetidos a exames para medir a massa magra e a gordura corporal. Com base no resultado do questionário, 480 participantes foram classificados como pessoas matutinas e 95 como noturnas. As outras pessoas ficaram entre os dois extremos.

Sem levar em consideração o estilo de vida de cada pessoa, concluiu-se que os indivíduos considerados noturnos têm mais chances de desenvolver problemas de saúde, como diabetes e a redução da massa muscular, do que as pessoas que estão acostumadas a irem para a cama mais cedo.

— Isso pode ser causado pela tendência dos noturnos de ter uma qualidade de sono ruim e comportamentos pouco saudáveis, como fumar, comer tarde da noite e levar um estilo de vida sedentário — afirma um do autores do estudo, Nan Hee Kim, da Faculdade de Medicina da Universidade da Coréia.

Pessoas com hábitos noturnos apresentaram níveis mais altos de gordura corporal e triglicerídeos do que aquelas que vão dormir cedo. Amantes da noite também eram os mais propensos a sofrer com a síndrome de sarcopenia. Entre as mulheres, as noturnas tiveram mais tendência a desenvolver gordura abdominal e alto risco de síndrome metabólica, um grupo de fatores de risco que aumentam o risco de doenças do coração e diabetes, do que mulheres com hábitos matutinos.

— Considerando que muitas pessoas jovens são noturnas, o risco metabólico associado às preferências de cada um é uma importante questão de saúde que precisa receber atenção — diz Kim.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/

Veja também

Campanha Amiguinhos do Livro faz doação03/12/13 Durante o mês de outubro, realizamos a campanha “Amiguinhos do Livro, que arrecadou 1.142 livros em perfeitas condições de uso. O material foi distribuído entre a unidade do SEST/SENAT, o Hospital da Criança e a Associação de Voluntários do Hospital Regional, levando a alegria da leitura adiante. A São Lucas agradece a todos os colaboradores que......
10 perguntas sobre bronzeamento12/12/13Conquistar um corpo dourado é o desejo de quase todo mundo no auge do verão. Mas expor-se aos raios solares pode custar um preço muito alto, que vai de queimadu 1 - Além de satisfazer a vaidade, qual a importância do bronzeamento para o corpo? O bronzeado intenso só vale para agradar a vaidade, não é sinal de saúde. "Ele indica que a pele foi agredida", ensina a......
Doar sangue, um gesto de solidariedade10/12/13 Em 25 de novembro se comemorou o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue. A data é celebrada neste mês devido ao baixo estoque nos meses de dezembro e janeiro, período em que diminuem as doações por conta das......

Voltar para Notícias